0800 777 2050
(34)99895-5192
(34)99982-0644
(34)98400-8040
(34)99214-8470
(34)99870-1035(EMERGÊNCIA)
Ok
Notícias

Quer ganhar 1 curso de teologia grátis?
Então me chame no Whatsapp

Egito reprime convertidos ao cristianismo

Numa dura repressão dos últimos dez anos, a polícia de segurança do Egito prendeu e torturou um casal cristão de origem muçulmana, junto com outros 11 cidadãos egípcios acusados de falsificar documentos de identidade cristãos para ex-muçulmanos.

Está gostando desse conteúdo?

Cadastre seu email no campo abaixo para ser o primeiro a receber novas atualizações do site.

Fique atualizado! Cadastre para receber livros, CDs e revistas promocionais.

Pelo menos mais dez cristãos foram detidos de uma vez e submetidos a torturas chefiadas por dois oficiais da polícia de segurança, conhecidos por táticas ilegais e cruéis contra os convertidos ao cristianismo. O casal convertido, Mohammed Ahmed Imam Kordy e sua esposa, Sahar El-Sayed Abdel Ghany, foi detido em Alexandria no dia 18 de outubro. A ação policial aconteceu aparentemente depois que a esposa foi envolvida numa queixa obtida sob tortura policial de que ela havia ajudado outra mulher egípcia a obter documentos falsos de identidade.

Dois dias depois da detenção, os dois foram transferidos para uma delegacia de polícia do Cairo onde foram espancados, pendurados pelos braços e insuflados com dolorosas quantidades de ar em seus corpos. Foi-lhes negada qualquer alimentação enquanto estiveram detidos sob forte interrogatório na delegacia central de polícia El-Mosky do Cairo, onde foram registrados sob o número 3793 de 2003.

Marido e mulher somente foram levados à presença do promotor em 22 de outubro, quatro dias depois da detenção. De acordo com a lei egípcia, a polícia deve levar o acusado detido ao promotor nas 24 horas após sua detenção.

Ao que se sabe o casal disse ao promotor que de fato eles haviam mudado seus nomes, o marido assumindo o nome de Yousef Samuel Makari Suyliman e a esposa, Mariam Girguis Makar.

Contudo, eles declararam que não sabiam ser ilegal mudar a identidade religiosa. Desde que é bastante conhecido o fato de cristãos no Egito poderem converter-se ao islamismo e mudar seus documentos de identidade, disseram eles, presumiram que os muçulmanos tivessem os mesmos direitos.

O casal deu os nomes de dois padres coptas que, disseram, os haviam ajudado mudar de identidade religiosa, ambos mortos nos últimos três anos.

Apesar da intervenção de advogados para obter a liberdade do casal sob fiança, a esposa foi mandada para a prisão no dia 23 de outubro pelo prazo de um mês enquanto o caso está sob investigação. O marido foi solto, mas continua sob acusação. O casal tem duas filhas adolescentes.

Enquanto isso, foram relatadas mais onze detenções, incluindo a de três mulheres coptas que haviam se convertido ao islamismo há vários anos mas voltaram à sua fé cristã. As três identificadas como Soheir Hosni Sedky, Fawzeya Azmy Estafanos e Marina Morcos Shenouda, enfrentam acusações de subornar funcionários do governo para obter documentos falsos de identidade.

Além disso, Portas Abertas conseguiu os nomes de oito funcionários públicos, ao que se sabe, presos por ligação com o caso. Duas delas, Reda Zaghloul e Amal Wadi´I, são mulheres. Outro, um cristão chamado Aziz Zakhary Armanios, foi empregado nos escritórios da segurança em Beni Swef, uma governadoria do sul do Egito. Armanios foi detido no Cairo acusado de preparar documentos cristãos de identidade para 2.800 muçulmanos egípcios que se converteram ao cristianismo. Ele teve a prisão aumentada para 45 dias pelo promotor.

O detido Samir Sa´ad foi identificado como sendo um cristão copta que se convertera ao islamismo que depois tentou voltar para o cristianismo. Funcionário do escritório de registro civil em Dokki, no Cairo, sabe-se que Sa´ad foi torturado para confessar os nomes de muçulmanos que se converteram ao cristianismo.

Mais dez cristãos foram detidos na grande ação de detenções, ao que se sabe, organizada pelo tenente Sayed Zaky, um oficial de investigações criminais conhecido por adotar práticas ilegais na detenção de cristãos.

Apesar do tenente Zaky ter informado o promotor que os cristãos recentemente acusados tinham sido presos na rua, fontes locais confirmaram que na verdade eles foram tirados à força de suas casas no meio da noite. Eles arrombaram portas, vasculharam suas casas, maltrataram os pais na frente dos filhos, tudo de uma forma humilhante, disseram as fontes.

Sabe-se que os detidos são torturados pelo tenente Walid El-Dossoky, designado para o quartel da polícia de segurança do Estado em Lazogly. Devido a antiga reputação de Dossoky por infligir tortura cruel particularmente sobre as mulheres cristãs convertidas, inúmeras queixas foram apresentadas a organizações de direitos humanos contra ele.

Apesar dos cristãos coptas do Egito comporem mais de 10% da população do país, o governo é acusado de um descarado apartheid religioso por suas leis discriminatórias que favorecem a maioria muçulmana.

Enquanto os cidadãos cristãos que querem se converter ao islamismo têm liberdade para adotar nomes muçulmanos e mudar suas identidades religiosas, esses direitos são negados aos muçulmanos que se convertem ao cristianismo. De acordo com a lei, não é ilegal a um egípcio converter-se de uma para outra religião mas, na prática, os muçulmanos que se convertem ao cristianismo enfrentam a prisão, tortura e constantes ameaças a suas vidas.

Diante de tal perseguição, muitos desses convertidos tentam mudar seu status religioso sem a permissão do governo, ficando expostos à acusação de falsificação de documentos oficiais. 
Após esta última repressão, um grupo de ex-muçulmanos que se converteram ao cristianismo publicou uma declaração anônima no Cairo no dia 26 de outubro.

Estamos entre as mandíbulas da constituição e da lei, afirmaram os cristãos convertidos, observando o dilema entre as garantias constitucionais de liberdade de crença e a lei islâmica que exige a execução dos apóstatas que não se arrependem.

Afirmando seus direitos como cidadãos egípcios a tratamento igual sob as leis do país, os convertidos exigiam que todos os processos de identidades falsificadas, movidos contra os cristãos convertidos, fossem retirados incondicionalmente.

O próprio governo egípcio é responsável por esta ação ilegal, afirmava a declaração, porque ela nos priva de um dos nossos direitos fundamentais, o de aceitar uma nova fé e mudar nosso nome, nossa identidade e nossos documentos oficiais. Devolva nossos direitos, e não vamos falsificar essas coisas.

É lógico, perguntam os convertidos, que a pessoa que escolhe uma religião diferente do islamismo seja acusada de blasfêmia e não se aplique o contrário? De fato, afirma a declaração, foi dada liberdade a todos os cristãos do Egito para mudarem de crença. Mas aqui os muçulmanos são perseguidos, porque não desfrutam do mesmo direito!

Fonte: https://www.portasabertas.org.br/noticias/2003/11/noticia436/


Qual sua opinião sobre esta noticia?
Deixe seu Comentário abaixo:
(*)Campos obrigatórios, e-mail e telefone não serão publicados)
Notícias de Líderes
Pastor Samuel Camara
Pastor Hidekazu Takayama
Missionário David Miranda
Pastor Cesino Bernardino
Pastor Gilvan Rodrigues
Pastor Julio Ribeiro
Pastor Adeildo Costa
Pastora Helena Tannure
Bispa Ingrid Duque
Pastora Joyce Meyer
Pastor Samuel Mariano
Pastor Carvalho Junior
Apóstolo Agenor Duque
Pastor Paulo Marcelo
Bispa Lucia Rodovalho
Bispo Rodovalho
Pastor Josué Gonçalves
Pastor Silas Malafaia
Pastor Márcio Valadão
Pastor Benny Hinn
Apóstolo Estevam Hernandes
Pastor Adão Santos
Missionário RR Soares
Apóstolo César Augusto
Pastor Billy Graham
Pastor José Wellington Bezerra da Costa
Pastor Gilmar Santos
Apóstolo Renê Terra Nova
Pastor Reuel Pereira Feitosa
Pastora Bianca Toledo
Bispa Cléo Ribeiro Rossafa
Pastor Samuel Ferreira
Pastor Claudio Duarte
Pastora Sarah Sheeva
Apóstolo Valdemiro Santiago
Pastor Jorge Linhares
Pastor Aluizio Silva
Pastor Reuel Bernardino
Pastor Marco Feliciano
Bispa Sonia Hernandes
Pastor Geziel Gomes
Pastor Yossef Akiva
Pastor Oseias Gomes
Pastor Abílio Santana
Pastor Elson de Assis
Pastor Lucinho

O Seminário Gospel oferece cursos livres de confissão religiosa cristã que são totalmente à distância, você estuda em casa, são livres de heresias e doutrinas antibiblicas, sem vinculo com o MEC, são monitorados por Igrejas, Pastores e Teólogos de Grandes Ministérios totalmente baseado na Santa Palavra de Deus, ao final você recebe DOCUMENTAÇÃO INTERNACIONAL valida no âmbito religioso.

Notícias de Cantores
Cantora Ludmila Ferber
Cantor Marquinhos Gomes
Cantora Elaine de Jesus
Cantora Andrea Fontes
Cantora Damares
Cantora Karen Martins
Cantora Lauriete
Cantor Mattos Nascimento
Cantor Regis Danese
Ministério Diante do Trono
Cantora Shirley Carvalhaes
Cantora Nivea Soares
Cantora Mara Lima
Cantora Lea Mendonça
Cantora Alda Célia
Cantor Davi Sacer
Cantora Cristina Mel
Cantora Bruna Karla
Voz da Verdade
Banda Oficina G3
Cantora Rose Nascimento
Cantora Eyshila
Cantora Cassiane
Cantor Fernandinho
Cantora Aline Barros
Cantora Fernanda Brum
Cantor Kleber Lucas
Cantor André Valadão
Ministério Renascer Praise
Cantor Irmão Lázaro
Cantora Ana Paula Valadão